Home / Fogo / Jatobá aposta na transformação

Conversamos com Luciano Gambarini que comanda há 30 anos o Sítio sobre o investimento em orgânicos e de uma linha extensa de produtos transformados que tem como carro-chefe os molhos a base de tomate

Visão do Sítio Jatobá

Visão do Sítio Jatobá

por Claudio Ferreira

Marca familiar derivada do sítio localizado no sul de Minas Gerais, a Jatobá é tradicional na transformação de alimentos no segmento de orgânicos. Com uma extensa linha de produtos, de molhos que tem como base o tomate a geleias, temperos, conservas e muitos outros, a Jatobá segue diversificando e tem planos para aumentar sua produção e distribuição.

Com foco em agroecologia desde 1986, a Jatobá é fruto do esforço pessoal de seu estudioso dono, Luciano Gambarini, e do apoio da família. “Estudo e trabalho com a agricultura orgânica há quase 30 anos, por amor à terra e às pessoas. Amo o que faço e me sinto recompensando ao ver tantas pessoas consumindo os alimentos que saem daqui e nos agradecendo pelo que fazemos. Minha família é muito feliz e saudável e sinto-me realizado. O retorno financeiro e o sucesso só são decorrências de qualquer trabalho bem feito, com responsabilidade, honestidade e ética”, completa.

Ele relembra que quando começou o trabalho com orgânicos não tinha nenhuma intenção comercial. “Não houve investimento financeiro visando lucro. Era uma nova forma de vida, em contato direto com a natureza, produzindo alimentos puros, saudáveis. Não havia sentido (como não há até hoje) de produzir alimentos através de adubos químicos ou venenos, afinal estamos falando em alimentos, algo que tem que ser adequado para nosso corpo”, assegura, para lembrar que ao depender da terra é preciso cuidar bem dela, sem formas artificiais de produção.

No processo, ele revela que encontrou barreiras como a falta de conhecimento e depois a falta de capital. Assim como sofreu com a escassa informação adequada do consumidor. “No início a maioria das pessoas não sabia o que era um alimento orgânico, e a mídia não divulgava os graves problemas dos agrotóxicos nos alimentos. Mas gradativamente as pessoas começaram a se interessar por tudo aquilo que estava relacionado ao bem-estar, à saúde. Hoje somos muito bem reconhecidos pelos consumidores de orgânicos”, compara.

Estufas do Sítio Jatobá

Estufas do Sítio Jatobá

O Sítio Jatobá possui 35 hectares, entre cultivos, pastos, pomares e matas e reservas legais e se localiza entre as bucólicas montanhas do sul de Minas, na cidade de Inconfidentes. Veja a seguir a entrevista com Gambarini sobre o processo para fabricar seus molhos, temperos, geleias e pimentas a partir de orgânicos certificados pela Ecocert, a comercialização e o mercado de transformação de orgânicos. E conheça a linha de produtos da Jatobá aqui.

Guia Orgânico: Quando vocês passaram a fabricar os produtos artesanais?
Luciano Gambarini: Desde o início já processamos alimentos, por ser uma tradição de família e por ajudar no aproveitamento da produção quando esta era maior. Porém, a partir de 1998, construímos uma estrutura de produção maior e mais bem equipada.

GO: Como foi feito o investimento na transformação dos alimentos orgânicos?
Luciano Gambarini: O investimento ocorre gradativamente, conforme vamos necessitando de novos equipamentos, novas estruturas e conforme as vendas nos permitem assumir estas despesas.

GO: Qual a diferença – em termos monetários – para um produtor investir na transformação
Luciano Gambarini: O processamento envolve um bom investimento em estrutura e em equipamentos industriais. E o conhecimento das várias etapas do processamento de cada tipo de alimento é algo de vital importância.

GO: Como a Jatobá distribui seus produtos, aonde encontrar a marca em Minas Gerais ou mesmo em outros estados?
Luciano Gambarini: Vendemos para todo o Brasil, sendo a distribuição terceirizada.

GO: A venda pelo site da Jatobá ainda não é aberta, apenas o envio de lista de produtos e preços, porque não existe a venda direta ao consumidor?
Luciano Gambarini: A venda no varejo via e-commerce deve ocorrer em breve. Sua estrutura é diference e independente das vendas no atacado.

GO: Qual a linha de produtos mais comercializada, a de molhos de tomate?
Luciano Gambarini: Sim, os molhos de tomate são os produtos mais vendidos.

Luciano e uma parte da linha de produtos da Jatobá

Luciano e uma parte da linha de produtos da Jatobá

GO: Como é feito o desenvolvimento dos produtos?
Luciano Gambarini: Isto é feito a partir de pesquisas com consumidores e com a colaboração de chefs parceiros.

GO: Dentro dessa diversificação, quais produtos devem ser lançados em breve?
Luciano Gambarini: Será uma surpresa.

GO: Como vocês veem o mercado atual de orgânicos – alimentos in natura e transformados?
Luciano Gambarini: A comercialização poderia ser maior caso os preços fossem mais baixos. A produção ainda é muito artesanal, o que encarece um pouco. A legislação ainda restringe demais o uso de insumos que já são permitidos em países desenvolvidos. Alguns comerciantes colocam margens muito altas nas vendas dos produtos orgânicos, encarecendo o produto final para os consumidores. Por estas razões e outras razões, as feiras de produtores ainda são os melhores lugares para as pessoas comprarem orgânicos, mas o consumidor deve solicitar a presença dos certificados.

Categoria:

TAGS:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

78 + = 85